Afiliados



Alien, de Alan Dean Foster

7 de maio de 2018


Olá pessoal, tudo bom? Nos últimos tempos tenho me desafiado a ler outros gêneros. Eu estava tão acostumada a determinados assuntos, que ficava em uma bolha literária e não me arriscava a sair da minha zona de conforto. Como tenho um gosto eclético para filmes, acreditei que também teria para livros, só precisava achar a época certa para ler e obras que me agradassem. Para me aventurar em ficção científica, decidir pela história de Alien, longa que eu adoro e achei que seria uma boa oportunidade para saber se eu também ia adorar a versão romantizada. Então, hoje contarei um pouco sobre o que eu achei dela. Vamos lá?

Editora: Aleph. Ano de Lançamento: 2015. Páginas: 328.
SkoobGoodreads. Onde comprar: AmazonSaraiva.

Um novo tripulante está na nave

Acho que todo mundo já está cansado de saber sobre Alien. A nave Nostromo levava  os seus tripulantes para casa, numa viagem que eles passariam dormindo. Porém, subitamente, foram acordados, já que a Mãe, o computador central desta nave, detecta um pedido de socorro nas proximidades.  Eles precisam atender a esse chamado, então três, dos sete que estão presentes, decidem investigar.

Afinal de contas, foi a curiosidade que levou a humanidade de sair de seu mundo isolado e sem importância e atravessar o abismo interestelar. Mas também se lembrou do ditado: “A curiosidade matou o gato”. Tomou a única decisão lógica.

O começo é um pouco lento, logo nos primeiros capítulos, porém a leitura aumenta de ritmo e me envolveu nas suas descrições. Apesar de  não estar acostumada com o gênero, o suspense e terror existentes na narrativa me atraiam e eu não desgrudei enquanto não soube como terminaria. Apesar de já conhecer a história, ainda me vi encantada pelos seus personagens e o seu desenvolvimento, principalmente em relação as personagens femininas fortes, o que vai de acordo com o Scott Ridley - diretor do filme - que sempre acreditou em igualdade de gênero.

Apesar de se manter fiel ao filme durante a maior parte, essa novelização possui pequenas divergências da obra original. Entretanto, nada que fará com que aquele fã fervoroso da franquia fique irritado, apenas mudanças sutis que foram necessárias por serem dois formatos diferentes e precisarem de diferentes recursos para cativar o seu público-alvo. Entretanto, ainda prefiro o longa, acredito que por fazer parte da minha infância - sim, assisti quando era criança e fiquei fascinada.

Súbito, ela vislumbrou pela primeira vez a criatura, perfeitamente encaixada no interior do capacete, como um molusco em sua concha.

A edição, lançada pela Editora Aleph, é bonita e contém alguns extras interessantes, além de possuir uma capa linda e uma ótima revisão. A única coisa ruim é que eu, sem querer, derramei refrigerante enquanto lia e manchou um pedaço da lateral. Me condeno até hoje por causa disso, mas redobrei os meus cuidados com alimentos/bebidas perto dos meus livros agora para que nada de ruim aconteça novamente.

Portanto, é uma leitura para qualquer fã de ficção científica/suspense/terror. Não importa se você assistiu ou não a obra original - até qual a ordem escolhida -, as duas formas podem agradar. É uma história sensacional e que merece o sucesso que  tem. Vale muito a pena a leitura!

E vocês, já leram esse livro? Querem ler? Qual é a opinião de vocês?

5 Profissões Diferentonas nos Doramas

1 de maio de 2018


Olá pessoal, tudo bom? Hoje é o Dia Internacional do Trabalho e nada melhor que fazer uma lista sobre o assunto, né? Eu fiquei pensando bastante sobre o que falar e resolvi fazer uma lista com as profissões diferentonas que podemos encontrar nos doramas. Faz tempo que eu não falo de um drama asiático por aqui e nada melhor do que uma lista com dicas de quais assistir e, de quebra, ver alguns empregos diferentes.










Quando mais vemos doramas, mais profissões parecidas nos são mostradas. É comum vermos herdeiros ou chaebol - que trabalham ou irão trabalhar em grandes empresas, sendo diretores, CEOs ou presidentes -; trabalhos de meio período - onde o(a) jovem, seja adolescente ou no começo da vida adulta, trabalha em diversos lugares como atendente, garçom/garçonete, entregador, etc. -; empregos que envolvam a lei ou saúde - como médicos, enfermeiros, policiais, soldados, advogados, promotores, etc. -;  ou na área artística - sendo pintor, fotógrafo, cantor, ator, etc.; e outros tantos.

Seja homem ou mulher, a maioria dos dramas tem pelo menos uma dessas profissões. Por isso que, quando vejo empregos que são diferentes, até mesmo nas produções americanas ou brasileiras, fico encantada. Assim, nos mostram um novo mundo e, apesar da maioria das vezes não ser o foco da história, não podemos deixar de ficar curiosos sobre essa profissão. Então hoje resolvi listar 5 profissões diferentonas dos doramas. Vamos lá?

1. Criadora de Maquetes, em Just Between Lovers


Just Between Lovers é um melodrama que contará a história após o desabamento de um shopping e as consequências nas vidas dos sobrevivente e das famílias dos que faleceram. Ha Moon So é a protagonista e estava presente na hora da tragédia acompanhando a irmã mais nova. Depois de perdê-la, cresce marcada por este dia e trabalha criando maquetes. Com a sua profissão, ela transforma a planta que os engenheiros e arquitetos criam em um modelo que dê para ver, em versão miniatura, a criação.

Moon So aprende muito sobre a segurança, então sempre aponta os erros que podem resultar em desastres para que nada de ruim aconteça novamente. Todo o drama sul-coreano é baseado na construção de um novo edifício no local que houve o desabamento e ela fará parte, sempre indo ao lugar e tentando deixar tudo o mais seguro possível. Então vemos muito sobre engenharia e arquitetura, além da personagem nos mostrar a importância da sua profissão - pois é com ela que realmente conseguimos "ver" o que foi projetado, já que não é todo mundo que consegue "ler" uma planta. Eu adorei ver esse ofício, que passa desapercebido por mim. 📐📏

2. Criador de Sons, Another Miss Oh


Sabe quando você está assistindo uma série/filme e alguém está correndo e você consegue ouvir claramente o salto alto batendo no chão? Ou quando os personagens estão andando na rua e é possível escutar as vozes de outras pessoas e o barulho dos carros? Ou quando alguém está lutando e um um som de um osso se quebrando é ouvido? Pois bem, essa é a profissão do Park Do Kyung.

Park Do Kyung é um designer de som que deveria estar casado há um ano com a Oh Hae Young, mas esta o abandonou. No presente, outra Oh Hae Young teve seu noivado com o Han Tae Jin rompido às vésperas do seu casamento. O que ela não sabe é que o motivo é que a vida do seu ex-futuro marido foi arruinada pelo Park Do Kyung por engano, achando que o Hae Young estava se casando com a sua ex-noiva - só porque elas tem o mesmo nome e estudaram na mesma escola. Só pela sinopse, parece que o Do Kyung é um idiota de marca maior que se vinga sem nem saber o que realmente aconteceu. Mas eu juro que, apesar da série ser mais adulta, ela vale a pena.

Várias são as cenas do Park Do Kyung trabalhando, seja no estúdio ou em outras localidades e conseguimos ver um pouco mais do seu trabalho. Assistir como certos sons são desenvolvidos (até mesmo os mais simples) é fascinante, pois vemos que não é um trabalho fácil, mas dificilmente será tão valorizado - vem dizer que você sabe o nome do pessoal responsável pelo designer de som de seu filme favorito? Por outro lado, ele é perfeccionista, mesmo que o telespectador não preste atenção aos mínimos detalhes, como se o som é de uma porta abrindo ou fechando. Enfim, foi bem legal ver uma profissão que eu nunca tinha prestado atenção, mas que, depois de assistir ao drama, me deixou mais atenta até aos pequenos sons quando assisto ao um filme ou série. 🎶🎶

3. Levantadora de Pesos, Weightlifting Fairy Kim Bok Joo


Tá, sei que ter um(a) personagem que é esportista não é algo tão diferentão assim, mas uma mulher que levanta pesos? Foi a primeira vez que eu vi. Essa série, na verdade, nos mostra a rotina de universitários que também praticam esportes: natação, ginástica e levantamento de peso. Para mim, o mais incomum é o último, já que não algo muito valorizado aqui no nosso país ou até retratado nos filmes/séries.

Como o próprio título já diz, a Fada do Levantamento de Peso nos contará a jornada da Kim Bok Joo, uma halterofilista, se inspirando em seu pai que também se devotou ao esporte quando jovem. Desde pequena não se importa com a sua beleza, come bastante e se dedica ao levantamento de peso, sendo apoiada pela família. Apesar de ser muito forte por fora, é sensível por dentro, o que traz grandes inseguranças quanto ao sexo oposto.

É uma série que mostra o dia-a-dia desses esportistas, retratando não só o lado físico, de treinamento pesado, por exemplo, mas também o psicológico: eles sofrem grande pressão, tem traumas para concorrer, tem que alcançar certas metas... Além disso, em nenhum momento isso é descrito como algo banal ou um defeito de sua personalidade. Os personagens são estimulados a conversar sobre o assunto e procurar ajuda médica, se necessário. Eu recomendo muito e foi bem interessante ver os bastidos de um esporte tão incomum, principalmente para as mulheres que sempre são estimuladas a serem mais femininas. 💪💪

4. Inventora, I'm Not a Robot


I'm Not a Robot foi um k-drama que estreou no fim do ano passado e que me conquistou desde o início. Conta a história do Kim Min Kyu que, devido a um trauma de infância, possui uma alergia ao contato humano. Então, quando lhe é apresentado uma robô, percebe que aquela pode ser a oportunidade perfeita para criar um laço mais profundo com outro ser - mesmo este sendo feito de metal. Só não imaginava que a Aji 3, a robô, fosse representada pela Jo Ji Ah.

Ji Ah é uma mulher que precisa de dinheiro urgentemente, então aceita fingir ser uma robô por um dia - tempo suficiente para a verdadeira inteligência artificial ser consertada. Ela tem ótimas ideias desde quando era criança, só que as suas criações não são daquelas que venderiam para milhares de pessoas - apesar de serem incríveis e que poderiam mudar a vida de quem adquirisse - e ela é desvalorizada.

Mas ainda assim, estas são encantadoras. Já imaginou duas lâmpadas que, ao tocar uma, a outra se acenda sozinha? E que isso é possível por Wi-Fi, então esses itens podem estar em dois países diferentes, mas ainda funcionarão e, portanto, mostrará que você está pensando no(a) dono(a) da outra lâmpada quando tocar a sua? Ou um guarda-chuva transparente que, ao apertar um botão, ele escureça automaticamente? E que, com isso, há duas funções: você pode ver a sua volta com a função transparente, como olhar as estrelas; ou ter um pouco mais de privacidade, com a função escurecida. Sim, ela é uma excelente inventora a sua maneira e é legal assistir essa criatividade. 

5. Mensageiro da Noite, Healer


Healer. Ah, o meu amorzinho Healer. Essa foi a primeira série que eu assisti com o ator Ji Chang  Wook e me fez apaixonada pelo seu trabalho de atuação. É um drama que mistura ação e romance na dose certa.

Seo Jung Hoo tem um trabalho pouco usual: lhe chamam de o mensageiro da noite. Ele faz entregas, seja de pacotes ou mensagens. Poderia ser intitulado de mercenário, já que faz qualquer trabalho pelo preço certo, não se importando com o cliente ou o objetivo deste. Todavia, possui princípios: não comete assassinato. Como tem o poder de passar despercebido pela sociedade - não sei como, com essa beleza e forte presença -, ele tem a facilidade de se disfarçar para concluir qual for o seu trabalho.

Ele é solitário, só tem companhia dos ajudantes que lhe auxiliam em algumas tarefas. Com o sonho de ir morar em uma ilha secreta, Jung Hoo batalha muito para juntar dinheiro suficiente para fugir do mundo. Lógico que nem tudo são flores e algumas confusões o faz conhecer outras pessoas que podem lhe revelar um pouco mais sobre o seu  passado e surge, também, um romance. Contudo, era ótimo vê-lo em ação, seja investigando ou nas cenas de luta (mas confesso que adorava vê-lo sendo fofo também). Esse é outro k-drama que vale a pena ver! 


E vocês, já viram esses dramas asiáticos? Querem ver? Sabem de algum que eu esqueci de mencionar? Qual?