Afiliados



Eu Sou a Lenda, de Richard Matheson

20 de agosto de 2018

Quer saber o que eu achei de Eu Sou a Lenda? É só conferir a postagem!

Olá pessoal, tudo bom? Se tem um filme do Will Smith que eu não gostei tanto, apesar de chorar copiosamente em uma cena específica, é Eu Sou a Lenda. Anos depois, descubro que é uma história adaptada, mas fiquei receosa em começar a leitura e não gostar. Porém, depois de ver diversas recomendações, deixei a desconfiança de lado e mergulhei nessa aventura sem nenhuma expectativa. E a obra me surpreendeu em vários aspectos. Então, esse será o livro resenhado de hoje, vamos lá?


Editora: Aleph. Ano de Lançamento: 2015. Páginas: 384.
SkoobGoodreads. Onde comprar: AmazonSaraiva.


Ele Realmente é uma Lenda

Robert Neville está vivendo em um mundo pós-apocalíptico. Nele, as pessoas se transformaram em criaturas noturnas, sanguinárias e irracionais. Acreditando ser um dos últimos sobreviventes, ele tenta sobreviver ao dia-a-dia dessa nova realidade, sozinho.

Acompanhamos-o em sua jornada que durante o dia, também inclui a exploração das redondezas. E, através de um mini laboratório improvisado, tenta fazer testes e chegar a alguma conclusão sobre o que aconteceu com o mundo.

O primeiro contato que tive com a história foi, logicamente, a sua adaptação. Apesar de não me lembrar de diversos detalhes do que ocorre no filme, posso dizer com clareza que há muitas diferenças entre ele e a obra original. Para mim, o livro é melhor.

Antes de ler, vi algumas opiniões em que comentavam que o livro era introspectivo e devo concordar. Apesar de ter uma narrativa em terceira pessoa, estamos, o tempo inteiro, dentro da mente do protagonista. Um personagem que nos transmite a solidão, os medos e a loucura - essa que, às vezes, me chocava.

As criaturas da história possui diversas semelhanças com os vampiros que conhecemos: só saem a noite, tem medo de alho e da cruz. Esta, inclusive, levanta um questionamento sobre religião e os reais motivos de tal objeto machucar esses seres.

Vale ressaltar, entretanto, que o mundo criado por Matheson é machistas. As mulheres não são dignas de confiança e estão ali para tentar seduzir o personagem. Pensando que a história foi escrita por um homem na década de 1950, dá pra entender que isto ocorra. Não que eu tenha gostado de ler essa parte, mas consigo tentar esquecer sobre isso e me aventurar na história.

Tirando essa ressalva, a narrativa é fluída e não consegui largar o livro enquanto não terminei. E, quando o fiz, finalmente entendi o título - que faz totalmente sentido com a jornada do Neville. Para quem assistiu ao filme ou não, a leitura vale muito a pena. O autor tem o poder de nos transportar para a sua trama, nos questionando o tempo inteiro sobre o mundo que criou, dando inclusive para fazer um paralelo com a nossa realidade. É realmente um clássico. 

E vocês, já leram esse livro? Querem ler? Qual é a opinião de vocês?

Comentários
16 Comentários

16 comentários :

  1. Oi! Como você eu vi o filme e ele está entre um dos meus favoritos da vida. Gosto demais de universos pós apocalípticos e toda essa gama de coisas que podem surgir neste ambiente. Também não sabia que era uma adaptação literária e quero muito ler o livro sim! embora esse ponto do livro ser machista, pelo período que foi escrito e tudo mais, eu quero muito fazer essa leitura e comparar com o filme! Obrigada por compartilhar suas impressões!


    Bjoxx ~ www.stalker-literaria.com

    ResponderEliminar
  2. Eu nunca fiz questão de ler essa obra ou ver o filme porque não é o tipo de narrativa que me agrada, mas reconheço a sua importância e imagino quão bom deva ser pra receber tantos comentários positivos e fazer tanto sucesso, sem contar que essa edição é maravilhosa demais né? Fiquei curiosa pra saber sobre a cena que te fez chorar.

    ResponderEliminar
  3. Oie.

    Eu também tinha um receio quanto a esse livro e por isso ainda não o li. Acho que vai ter o momento certo para ler, rs. Enfim, eu sempre me irrito com esses contextos machistas e acho que ficaria extremamente incomodada com isso. Mas acho que a história passa uma mensagem, espero captá-la com ler hehe.

    beijos!

    ResponderEliminar
  4. Oi Dani!
    Eu já conhecia a obra e sabia que tinha gerado uma adaptação, mas nem li e nem assisti. Agora com sua resenha me despertou interesse em conhecer um pouco mais, realmente deve ser chocante saber o que se passa na cabeça de uma pessoa tão só. Não gostei das criaturas serem parecidas com os vampiros, porque o livro parece ser tão diferentão (principalmente pra época) que poderia ter feito algo mais único. E fiquei receosa com o machismo, eu entendo que a época em que foi lançado e tudo mais, mas ainda assim fico incomodada (e não conseguiria gostar de fato da trama). Apesar de ter me despertado curiosidade, também despertou um receio em ler. :x
    Beijos

    www.lendoeapreciando.com

    ResponderEliminar
  5. Oiii,

    Mas gente do céu eu não sabia que era um livro kkkk, pra ser bem honesta eu nunca nem assisti ao filme, sabe quando algo está passando na TV e não consegue chamar sua atenção? É minha história como eu sou a lenda, nunca tive vontade de assistir. O livro parece ser infinitamente melhor, e achei interessante pelo fato de ele parecer introspectivo, mas mesmo sua resenha estando incrível eu não consigo me ver lendo a obra.

    Beijinhos...
    http://www.paraisoliterario.com

    ResponderEliminar
  6. Oi, Dani!
    Tenho esse livro na estante, mas nunca crio coragem para ler justamente por causa do filme haha Uma coisa que achei muito importante na sua resenha foi o fato de que devemos ter consciência das condições de produção da narrativa, seu contexto e tempo histórico, para assim entendermos porque certas coisas acontecem na trama (como o machismo nesse caso). Sua resenha também me deixou bastante aliviada porque acho que agora consigo criar coragem para finalmente ler a história de Neville.
    Beijos!

    ResponderEliminar
  7. Olá!
    Eu assisti esse filme e achei bem intrigante, na época fiquei bem animada com a história do personagem e aquela mistura de vampiros, zumbis, enfim, mas infelizmente esse tipo de história me chama mais atenção mesmo em adaptações, geralmente acho as narrativas muito arrastadas e acabo não conseguindo concluir a leitura.

    Beijos!

    Camila de Moraes

    ResponderEliminar
  8. Oii tudo bem??

    Eu adorei o filme e queria muito realizar a leitura, mas você citando o autor como machista, perdi completamente a vontade.
    Mas por inteiro mesmo, não consigo ler livros dessa forma, deixei de ler John green por muito menos.
    Adorei a resenha.
    Bjus RAfa

    ResponderEliminar
  9. Oi Dani!
    Como você, assisti uma única vez o filme a alguns anos atrás e lembro que não gostei. E talvez por causa disso não tenha muito interesse em ler o livro, mesmo com as diversas críticas positivas.
    Achei curioso que você descreve as criaturas parecidas com os vampiros, pois todas as resenhas que já li, falam que eles lembram mais os zumbis.
    Importante você ter falado da representação das mulheres na história. Uma pena que o autor tenha colocado essa visão, mas por ter sido escrito nos anos 50, deixamos passar um pouco.
    A sua resenha está ótima. Parabéns!
    Bjss

    http://umolhardeestrangeiro.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  10. Eu conheço o filme e particularmente adoro os dois finais, mas não sabia que era baseado no livro, passei a gostar ainda mais e agora quero conferir o livro para saber qual o desfecho é o correto. pelo filme eu não notei esse machismo, ou talvez eu estivesse focando em outra coisa, então preciso muito conhecer esse clássico.

    Abraços.

    ResponderEliminar
  11. Oi, Dani

    Eu assisti a adaptação também, mas ao contrário de você eu gostei muito. Honestamente não tenho vontade de ler o livro, pois por mais que o livro seja melhor (sempre é rss) o "esqueleto" da história eu já conheço... aí acho chato.
    Que bom que acabou sendo uma boa experiência! :)

    Beijos

    ResponderEliminar
  12. Oi!!
    Assim como você tive a oportunidade de assistir o filme antes e assim como você, também choro muito em uma parte especifica haha
    Entretanto, confesso que não é muito o meu genero preferido para a leitura, então, mesmo tendo gostado da historia do filme, acredito que o livro, mesmo sendo melhor, não seja pra mim.

    beijos

    ResponderEliminar
  13. Oi, tudo bem?
    Eu sempre vejo muitas pessoas elogiando esse livro, mas confesso que, apesar dos comentários me deixarem curiosa, o enredo em si não me conquistou muito. Eu ando com um pouco de preguiça de livros ambientados em um cenário pós-apocalíptico, por isso acho que ainda não senti vontade de ler.
    Mas adorei sua resenha e fico feliz que, apesar da ressalva em relação ao machismo presente na obra, você conseguiu relevar essa parte e gostar da leitura.
    Beijos!

    ResponderEliminar
  14. Assisti ao filme e na época até que gostei. O livro ainda não li embora já tenha lido várias resenhas sobre ele. Acabo o deixando para depois e assim ele vai ficando. E acho que vai ficar de lado por um bom tempo, ado meio de saco cheio de enredos que envolvam mundos pós-apocalípticos. Bexus @prefirolercomcalma

    ResponderEliminar
  15. Sempre ouço que o livor não tem nada a ver com o filme e embora eu adore o filme, tenho curiosidade para ler o livor. Sobre a narrativa machista, confesso que me desanimei um pouco, mas quero conhecer a trama.
    Beijos

    ResponderEliminar
  16. Olá Dani,
    estou completamente chocada. Não fazia ideia de que o filme é uma adaptação, e pelo que li em sua resenha realmente diverge bastante da história do livro. Fiquei interessada em conhecer as abordagens do autor, e assim como você tendo em mente a época em que foi escrito, consigo entender o porque das mulheres serem descritas da forma que foram. Certamente vou incluir essa obra em minha lista de livros que preciso ler.

    Abraços!
    Nosso Mundo Literário

    ResponderEliminar